Apoio Jovens Agricultores e PRODER 2014

Posted on 16/01/2014 by Plubee Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedinmail

apoio jovens agricultoresEste artigo pretende publicar a pouca informação até agora conhecida sobre apoio jovens agricultores e a entrada no novo PRODER em 2014, como forma de tentar responder às dúvidas de quem pretende investir, que vimos recebendo diariamente por e-mail na Plubee.

Relativamente ao PRODER 2014, provavelmente só teremos novidades sobre o programa a partir de Junho ou mesmo possivelmente Setembro de 2014. De acordo com a informação mais recente disponível, o novo QREN para o período 2014-2020 será conhecido como o Portugal 2020 e esperamos ter também novas candidaturas abertas no segundo semestre de 2014.

Apoio Jovens Agricultores

Relativamente ao apoio jovens agricultores, tudo indica que o programa se deverá manter, no entanto poderá haver alteração de condições de acesso ou mesmo de incentivos concedidos, no entanto nesta fase é demasiado prematuro para avançarmos com alguma informação. O apoio jovens agricultores recorde-se foi um sucesso no PRODER 2007-2013 com um total overbooking do programa em 2013.

Para aqueles que procuram informação sobre apoio jovens agricultores ou mesmo potenciais agricultores com mais de 40 anos, comecem por consultar no nosso site as medidas 1.1.3 e 1.1.1 no PRODER pois esperamos que muito do funcionamento no novo PRODER se mantenha face ao anterior programa.

A melhor recomendação para quem se pretende iniciar e não tem experiência na área é planear antecipadamente o que fazer. Leia os artigos www.plubee.com/projectos-proder e ainda www.plubee.com/apoios-agricultura pois aqui tem bastante informação sobre como começar e que subsídios tem na produção.

Idealmente o primeiro passo que recomendamos como sempre é a procura e contratação de um técnico agrónomo competente que o oriente e aconselhe da melhor forma em questões como procura ou viabilidade técnica de um terreno, culturas mais recomendadas para o local e tipo de solo e mesmo questões fundamentais como áreas mínimas e investimentos necessários para averiguar se a exploração do terreno pode ou não trazer rentabilidade ao investidor.

Related posts:

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedinmail